Foi publicado em 1953.

É o primeiro livro por ordem de publicação que não conta com a presença de qualquer dos irmãos Pevensie. Neste livro está narrada somente a volta de Eustáquio até Nárnia na companhia de sua amiga Jill Pole. Desta vez eles conseguem ir até Nárnia através de um velho portão nos fundos da escola onde estudavam.

Eles chegam em Nárnia 70 anos depois da aventura vivida em A Viagem do Peregrino da Alvorada, quando o rei Caspian já era muito idoso e estava em busca de seu filho, o príncipe Rilian, perdido nas terras ao norte de Nárnia. Jill estava encarregada por Aslam de se lembrar dos sinais que indicariam o que fazer para conseguir resgatar o príncipe, mas já chegam perdendo o primeiro sinal.

Como Caspian havia proibido as buscas ao seu filho, os meninos tiveram que iniciar uma aventura por conta própria, ajudados pelo pessimista paulama Brejeiro. Seguiram pelas terras do norte, habitadas por gigantes, quase virando refeição deles.

Por final, conseguem libertar o príncipe ao se lembrarem do último sinal, que indicaria que o verdadeiro príncipe juraria “em nome de Aslam”. Ele estava preso nas terras do mundo inferior (habitado pelos gnomos) onde a Feiticeira Verde conspirava em usá-lo para conquistar Nárnia. O príncipe Rilian conseguiu voltar a Nárnia a tempo de ver o seu pai, que já está idoso e à beira da morte.