Em comemoração do aniversário de 10 anos desde a estreia do primeiro filme da franquia, “O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa”, o site NarniaWeb que é o maior portal internacional dedicado às Crônicas divulgou uma entrevista exclusiva com Douglas Gresham, co-produtor dos filmes e enteado do autor dos livros, C.S Lewis; confira a tradução da matéria.

O Co-Produtor Douglas Gresham (e enteado de C.S Lewis) conseguiu um tempo para responder algumas de nossas questões já que a adaptação de O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa (Disney/Walden) cruza a marca de uma década.

Behind the Scenes Narnia

NarniaWeb: Ual… Dez anos depois! Como se sente ao olhar para trás?
Douglas: Como se o tempo não tivesse passado! É o mais estranho de envelhecer (Agora tenho 70 anos), o tempo acelera mas também para ao mesmo tempo! Digo, às vezes os dias parecem infinitamente longos, semanas e meses também, porém anos e até mesmo décadas são apenas em um piscar de olhos (N/T: Na verdade Douglas usa a expressão “flash of a firefly” que traduzindo livremente ficaria algo como “tão rápido quanto o piscar de um vagalume”.) Tem sido uma louca viagem com seus altos e baixos mas eu não teria desperdiçado os últimos 10 anos por nada. Eu tenho aprendido muito sobre várias coisas.

NarniaWeb: Ter trabalhado nesses filmes fez com que você criasse uma profunda valorização ou uma perspectiva diferente dos livros?
Douglas: Eu acho que não, trabalhando nos filmes me deu uma compreensão mais profunda e apreciação das armadilhas e problemas envolvidos ao fazer o filme, e suas alegrias e prazeres também. Realmente uma das mais tristes partes disso tudo é a fragilidade das amizades que você faz durante a gravação de um filme. Alguns anos trabalhando juntos e depois um intenso tempo num set de gravação criando um grupo inteiro de novos amigos e de repente PUF – Acabou e todo mundo vai embora, alguns seguem seus próprios caminhos e outros só são vistos raramente, se é que são vistos novamente. E isso é triste. Mas em geral é uma ótima experiência e espero repetir tão frequentemente quanto Deus permitir.

Narnia Poster

NarniaWeb: Ao longo da última década, você tem se expressado o quão satisfeito está com a adaptação de “O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa”. Todo mundo tem sua própria e única visão de Nárnia, é claro, mas pra você: há alguma cena específica no filme que pareceu exatamente como você imaginou quando você leu o livro?
Douglas: A cena que invoca a “verdadeira Nárnia” na minha mente foi a clássica sequência em que a amável e jovem Georgie Henley como Lúcia Pevensie experiência Nárnia pela primeira vez. Andrew (diretor do filme) teve que leva-la vendada até o set cujo ela nunca tinha visto antes, no andar de baixo (nós cavamos no chão da arena onde filmamos) e a carregou para a ponta do set. Ela ficou parada ali por um momento e então as luzes se acenderam, as câmeras começaram a rolar, ouvimos o “Ação!” e a venda foi removida, Georgie pisou na floresta nevada de Nárnia. Ela olhou em sua volta com admiração e espanto, totalmente chocada – Conseguimos em apenas uma tentativa.

NarniaWeb: Você já explicou no passado como “compromissos” são geralmente requeridos quando adaptamos um livro para um filme. Poderia escolher um exemplo específico de um “compromisso” decidido em O Leão, a Feiticeira e o Guarda Roupa?
Douglas: Bom, são 10 anos atrás agora – e muitos filmes foram feitos desde então, você sabe, é incrível mas eu não consigo lembrar nem mesmo um. Eu suponho que tive que deletar um pouco disso do meu “disco rígido” para que eu pudesse ir em frente com o próximo filme.

NarniaWeb: Você poderia nos dizer sua Crônica de Nárnia favorita nesse momento em particular?
Douglas: A Cadeira de Prata é claro, é a que estou lendo e relendo no momento.