Novembro é considerado o mês de C.S. Lewis, porque em 29/11/1898 nasceu nosso querido escritor e em 22/11/1963 ele faleceu. O ano de 2013 marca os 50 anos da morte de Lewis, e não é motivo de tristeza – sim, Lewis nos deixou, – mas ele continua vivo através de suas obras magníficas. Em todo o mundo, durante todo o mês são realizadas inúmeras homenagens ao nosso querido Jack, como a Semana C.S. Lewis e C.S. Lewis Day.

Mas quem era C.S. Lewis?

Clive Staples Lewis, mais conhecido como C.S. Lewis, foi um professor universitário, teólogo anglicano, poeta e escritor britânico.  Nasceu na cidade de Belfast, Irlanda (atual Irlanda do Norte), em 29 de novembro de 1898. Sempre rodeado por livros, era descrito durante a infância como uma “criança sonhadora”. Filho caçula de Albert James e Florence Augusta Lewis. Quando tinha três anos decidiu adotar o nome de “Jack”, nome pelo qual ficou conhecido na família e amigos mais próximos. Lewis cresceu, voltou à fé cristã — após passar por anos, auto considerando-se um ateu convicto — no início da década de 1930. Escreveu diversas obras onde destacam-se as principais: O Regresso do Peregrino, O Problema do Sofrimento, Milagres, Cartas de um diabo ao seu aprendiz, e a mais conhecida a série As Crônicas de Nárnia.

No início de junho de 1961, Lewis começou a ter problemas de saúde e foi diagnosticado com inflamação nos rins que resultaram em envenenamento do sangue. Seu estado de saúde começou a melhorar em 1962. A saúde de Lewis continuou melhorando. Em 15 de julho 1963, adoeceu e foi internado no hospital. No dia seguinte, sofreu um ataque cardíaco e entrou em coma, inesperadamente acordou no dia seguinte. Renunciou ao cargo em Cambridge, em agosto. A condição de Lewis continuou a diminuir, e em meados de novembro, ele foi diagnosticado com estágio final da insuficiência renal. Em 22 de novembro de 1963, exatamente uma semana antes de seu 65º aniversário, Lewis entrou em colapso em seu quarto e morreu poucos minutos depois. Ele foi enterrado no cemitério da Igreja da Santíssima Trindade, Headington, Oxford.

Essa é uma breve história da vida de Lewis, escritor que nos proporcionou conhecimentos extraordinários através de suas obras e de suas magníficas frases. Sem dúvidas, este dia é um marco para a literatura mundial, não é motivo de tristeza, pois o lugar que ele se encontra agora, é melhor. Ao lado de Aslam.

Nossa equipe resolveu demontrar o quão é importante a vida do Jack, através de pequenas declarações.

Ruan“Não tenho palavras para falar de alguém tão especial. C.s. Lewis nos proporcionou conhecimentos imensuráveis. Ao ler suas obras, cada capítulo, cada página, cada frase, cada palavra nos traz inspiração, nos leva para o lugar tototalmente distante, onde podemos descansar e simplismente pensar.

Se não fosse o Jack, este site não existira, Nárnia não existiria… Todo dia é dia de C.S. Lewis! Neste dia devemos agradecer primeiramente a Deus, por esta boa dádiva que nos inpira todos os dias. Obrigado, Lewis!” 

Luis“O que de fato significava tal como significa apenas o cantarolar do nome composto ‘C.S. Lewis’, um dia perguntaram a mim. Não sei, respondi. Mas não que eu não saiba por anseio meu em tornar a coisa mais dramática ou emotiva, ou até mesmo tacha-la de indescritível, não sei pois não o conheço; na mais crível realidade, essa abreviação me assusta. Só sou tocado enquanto: Papai Jack. Pois para algo ser indescritível, tem de ter obtido antes a devida falha do meu Mestre quanto a sua devida descrição. Pois toda madrugada claustrofóbica traz consigo o abrir repentino e aguardado das portas do guarda-roupa; e lá vamos nós. Primeira pessoa do plural?! Apesar de reclamar da condição um pouco mais rechonchuda do seu corpo, nós dois sentados numa das estantes da mobília de madeira – mágica, amparando uma lanterna e algumas páginas asperamente macias. Como consigo me desviar tal como divagar sobre o real assunto, um dia questionaram a mim: como consigo enganar desastres através da imersão num universo fantasiosamente palpável. Culpa desse que morreu e morre eterno todo ano nesse hoje, respondi com um suspiro.” 

Carol“Desde que li o primeiro livro de Nárnia, eu sabia que aquela seria sem dúvidas, uma das minhas sagas favoritas. Com aquela forma que só Lewis poderia ter escrito que me fazia viajar desse nosso mundo barulhento para um completamente diferente, um lugar onde remete segurança e felicidade. E é isso uma das coisas que amo nele, o jeito que ele ajuda milhares de crianças, adolescentes e adultos a usarem a imaginação, a refletirem suas ações com todas as mensagens lindas passadas pelos seus livros. Ele me fez viajar para outro mundo, ele me fez ter uma mente aberta para a minha imaginação, ele desenhou cada detalhe em minha mente a cada frase que eu lia dos seus livros. Lewis se tornou o meu tipo de “rei da escrita”, dos meus mais incríveis sonhos, dos meus maiores desejos de viver uma vida na fantasia, de viver uma vida onde eu seja eu mesma, onde eu me sinta bem comigo mesma, onde eu tenha paz. Ao ler Nárnia, eu sinto isso. Ao ler cada frase que ele escreve, do modo mais acolhedor possível. Toda a sua escrita trás em mim uma paz, um tipo de paz eterna, e que por isso, tenho vontade de mostrá-la ao mundo, de querer que todos conheçam essa mente incrível de Clive Staples Lewis. Se eu pudesse, agradeceria à ele por tudo o que fez não só na minha vida mas, na de todos os aqueles que leram suas obras, que se inspiram até hoje por todas as suas histórias, e que por causa dele, es sonham, do modo mais natural e belo possível.”

Andressa“O que falar do tio Jack?! Nesse momento fogem-me as palavras. Mas quero deixar aqui, minha admiração e carinho por este grande escritor. Obrigado, Lewis! Obrigado por me fazer viajar através de sua escrita, por me fazer esqucer este mundo e mergulhar em Nárnia! Obrigado pela inspiração, obrigado pelos conselhos, que através de suas obras posso levá-los para o meu dia-a-dia. Simplesmente, obrigado. <3”

 

Valleria“C.S. Lewis. Quando me lembro desse nome, além de vários pensamentos, uma unica palavra ecoa em minha mente é: INSPIRAÇÃO Se você conhece a toda a história dele, vai saber que não foi do nada que surgiram as Cronicas de Narnia. Pra mim, Narnia é só o reflecxo do que ele vivia. Depois de sua conversão, Lewis se deixou , em todos os momentos, ser usado por Deus. Dia 22 de novembro, uma data marcada pelo agradecimento de milhares de fãs não só pelas Cronicas de Narnia, ou pelos seus outros livros, mas pela pessoa que C.S. Lewis foi. Foi parecido com Aslam, e agora vive com Ele.”

 

Que as suas obras sejam espalhadas, contadas… continuando a encantar gerações.

É isso! Obrigado, Lewis!